NOTA A POPULAÇÃO DO SINDICATO DOS SERVIDORES DA CAMARA LEGISLATIVA, QUE ESTÃO SOFRENDO ATAQUES DA MAFIA QUE INFESTA AQUELA CAMARA.

maio 19, 2010

No último dia 07/05, oito servidores desta Casa tomaram conhecimento, porque foram notificados, de que foi aberta sindicância para apurar a sua participação no episódio da ocupação da CLDF pelo movimento Fora Arruda e Toda a Máfia, ocorrida em dezembro do ano passado. Trata-se do desdobramento de um pedido feito à Copol pelo então presidente Cabo Patrício para que fossem identificados os servidores que teriam participado da “invasão” da Câmara. Uma vez feito esse “trabalho”, a atual Mesa Diretora, por unanimidade, decidiu abrir a referida sindicância, que corre em paralelo ao inquérito, também aberto pelo então presidente, que apura
a ação dos membros do movimento.

No dia 11/05, em pronunciamento no plenário por ocasião do aniversário da Policia Militar, o ex-presidente Cabo Patrício fez amplos elogios à atuação dessa Instituição que, no seu entender, teria agido de forma exemplar no episódio da ocupação e em outros relativos ao movimento que ocupou o plenário da Câmara por cinco dias. Houve, segundo o deputado, naqueles dias, uma “defesa da Instituição”, que estaria sob a ameaça de “invasores”; e a PM teria, então, tido uma atuação “de primeiro mundo”. Ora, tais atitudes e declarações nos levam a nos perguntar a respeito de em quê mundo é que esse deputado vive, pois o Brasil inteiro viu, naqueles dias, que
1.a Câmara Legislativa estava absolutamente inerte face às gravíssimas
denúncias que acabaram por conduzir à renúncia do governador, do vice-governador e de dois deputados distritais; e que, se não fosse pela revolta do movimento social Fora Arruda, absolutamente legítimo, essa inércia teria se prolongando, com o assunto sendo gradativamente esquecido pela mídia;

2.a população de Brasília é composta não somente de políticos corruptos, mas de gente que, como dizia um dos slogans do movimento, “não é otária, nem infeliz”, aí incluindo-se o Procurador Geral da República (acaso não seria ele, também, um “elemento perigoso”?) que ingressou com o pedido de intervenção federal, ainda não julgado no âmbito do STF;
3.a Policia Militar do DF teve uma atuação absolutamente truculenta e da mais vergonhosa covardia quando agrediu, a cavalo, manifestantes em frente ao Buriti e, se recordar que, naqueles cinco dias em que o plenário esteve ocupado pelo Fora Arruda e Toda a Máfia, infindas negociações foram realizadas para tentar garantir tanto o direito da população a se manifestar, quanto o direito dos deputados de (finalmente) dar prosseguimento aos processos de impeachment, CPI e cassação de mandatos. Esse sempre foi e sempre será o papel da CLDF, independentemente dos deputados que por ela passarem: a de ser uma instituição amplamente aberta ao diálogo. O Sindical agiu como mediador no sentido de evitar que o pior ocorresse, com a PM fazendo uso da força no momento da reintegração de posse (esse termo altamente controverso, já que, na democracia, a “posse” não é dos poucos, mas sim dos muitos), maculando ainda mais, e aí sim talvez de forma indelével, a já frágil imagem da Câmara. A principal testemunha disso é o próprio deputado Cabo Patrício, que deve ter se cansado de nos receber no papel de bucha de contenção dos ânimos. A diretoria do Sindical o ajudou, naquele momento, a lidar com uma situação para a qual ele se mostrava despreparado; e, agora… Quatro dos servidores arrolados são servidores de carreira, sendo que três são diretores ou ex-diretores do Sindical. Os outros quatro são servidores de livre provimento ou requisitados e têm ligação com gabinetes parlamentares que, por definição, têm conexões com os movimentos sociais. Caberia a pergunta: o quê está por detrás disso? Autofagia política? Campanha eleitoral antecipada junto à base? Moralização às avessas e à custa dos servidores da Casa, quando as ações investigatórias realmente importantes e necessárias (CPI e cassação de envolvidos na Caixa de Pandora) claudicam? É provável que, de tudo, um pouco. Mas, sem dúvida, é uma retaliação ao nosso movimento pela implantação da reforma administrativa que vimos propondo desde 2006 para enxugar os quadros da Casa e reduzir seus gastos. O certo é que devemos repudiar o uso da Policia Legislativa (Copol) como um pastiche dos antigos SNI e DOPS nessa tentativa de transformar a CLDF num quartel. O patrimônio mais valioso de uma instituição não são as suas instalações físicas, por mais luxuosas ou maltrapilhas que sejam; o patrimônio mais valioso são os servidores que, com seu trabalho diário, acabam por confundir suas vidas com a vida da instituição onde trabalham. Essa sindicância é que é o verdadeiro atentado à instituição CLDF, o verdadeiro “excesso”; e este Sindical não se furtará a, mais uma vez e com todos os meios de que dispõe, sair na verdadeira defesa da Instituição, da representação política da população do DF e de um Legislativo digno.
Diretoria do Sindical

Anúncios

O bilionário Paulo Octávio exige indenização de estudante de baixa renda

maio 7, 2010

O bilionário e ex-vice-governador do DF, Paulo Octávio, resolveu cobrar indenizações aos manifestantes do Fora Arruda. Na noite de quarta-feira (05), ocorreu no Fórum Leal Fagundes uma audiência de conciliação entre um dos manifestantes, David Almeida, e a Paulo Octávio Investimentos Imobiliários Ltda. David, que é estudante de filosofia da UnB, foi preso enquanto participava de um protesto pacífico, no dia 22 de fevereiro deste ano, contra a construção do Setor Noroeste. O protesto aconteceu na Central de Vendas do bairro, uma suntuosa loja na 208 Norte.

No boletim de ocorrência feito no dia, o manifestante é acusado pela empresa de ter destruído dois vasos de plantas, que adornavam a entrada da loja. Durante audiência, porém, a advogada da empresa, Flávia Alves Gomes, resolveu cobrar de David não só os vasos, no valor de R$ 1000,00 cada, como também a pintura da parede e até mesmo a água da fonte que decora a loja.

Na ocasião, os manifestantes demonstraram seu repúdio ao balcão ilegal que é o stand de vendas do Noroeste. Faixas irregulares de propaganda do bairro também foram incendiadas.

Na ponta do lápis, o “acordo” proposto por Paulo Octávio custaria ao estudante nada menos que dez mil reais. Além do dinheiro, David também teria de redigir um pedido formal de desculpas à empresa, a ser publicado num jornal diário da cidade.

“É um absurdo ser processado pelo maior empresário de Brasília por conta de uma suposta quebra de dois vasinhos de planta, que não representam nada no orçamento dele. E o pior é a exigência de ter de se retratar publicamente por algo que não pratiquei. O processo todo é motivado por interesses políticos, já que o movimento foi vital na derrubada do ex- governador. Isso é parte do trabalho de criminalizar os movimentos sociais. Não vamos nos amedrontar com essa atitude”, pontua David, que se mantém na UnB graças à assistência estudantil, por possuir baixa renda familiar e estar desempregado.

O estudante está sendo assessorado por advogados que atuam no Movimento Fora Arruda, Gilson dos Santos e Márcio Freitas Filho. “Na verdade, a empresa não queria construir acordo nenhum. As exigências deles são estapafúrdias. A ação contra o David tem uma série de falhas, e talvez a maior delas seja a de imputar a uma só pessoa coisas que aconteceram durante um ato com vários e vários militantes. Além de não haver flagrante, as testemunhas arroladas por eles trabalham todas na empresa, estando contratualmente impedidas de falar contra a companhia”, detalha Gilson.

A audiência terminou sem acordo entre as partes, de forma que a disputa será levada a julgamento.

Reunião Fora Arruda nesta quinta

maio 5, 2010



Para aqueles que já vëm integrando as atividades do Movimento Fora Arruda e Toda Mafia e também para aqueles que desejam começar a integrar as atividades do movimento:

Reunião Pública do Movimento Fora Arruda e Toda Máfia

Quinta-feira, 06 de maio

às 19 horas

no auditório do SindMetrô (CONIC, Venâncio 5)

A pauta proposta é:

1) encaminhamentos da comissão de mobilização

2) intervenção federal.

A reunião é aberta pra qualquer pessoa interessada. E pra quem acha que a luta jã acabou pq o Arruda saiu, fica aí a provocação de que a máfia do Arruda continua na ativa e de que o Movimento Fora Arruda e Toda Mafia não se moivmenta só pra tirar umas figurinhas políticas do tabuleiro, mas acima de tudo pra repensar a própria forma de se fazer política. (Queremos mexer não só derrubar certas peças, mas também redesenhar o tabuleiro da vida social e política no DF e Brasil).

A luta continua. Estamos apenas começando. Junte-se ao movimento !

Reunião do movimento hoje à noite !

abril 28, 2010

Para aqueles que já vem integrando as atividades do Movimento Fora Arruda e Toda Mafia e também para aqueles que desejam começar a integrar as atividades do movimento:

Reunião Pública do Movimento Fora Arruda e Toda Máfia

Hoje, quarta-feira, 28 de abril

às 19 horas

no auditório do SindMetrô (CONIC, Venâncio 5)

A reunião é aberta pra qualquer pessoa interessada. E pra quem acha que a luta jã acabou pq o Arruda saiu, fica aí a provocação de que a máfia do Arruda continua na ativa e de que o Movimento Fora Arruda e Toda Mafia não se moivmenta só pra tirar umas figurinhas políticas do tabuleiro, mas acima de tudo pra repensar a própria forma de se fazer política. (Queremos mexer não só derrubar certas peças, mas também redesenhar o tabuleiro da vida social e política no DF e Brasil).

A luta continua. Estamos apenas começando. Junte-se ao movimento !

Vitoriosa ocupação da nova sede da CLDF

abril 27, 2010

Vídeo sobre vitorioso processo de ocupação da luxuosa nova sede da Câmara Legislativa do DF durante o aniversário de 50 anos de Brasília ! O prédio ainda nem foi inaugurado. A ocupação durou cerca de 24 horas.

Quadrinhos sobre 50 anos de Brasília !

abril 27, 2010

Nota sobre a ocupação do novo prédio da Câmara Legislativa do DF

abril 22, 2010

Brasília, 21 de abril de 2010

Nota sobre a ocupação do novo prédio da Câmara Legislativa do DF 

O Movimento Fora Arruda e toda a Máfia – criado após o estouro do maior escândalo de corrupção do Brasil, a Caixa de Pandora – continua na luta por uma nova política no Distrito Federal, com a construção de novos 50 anos para Brasília.

Exatamente no cinqüentenário da capital federal, ocupamos o prédio destinado à nova sede da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF). Este ato simbólico busca expressar toda a indignação da população brasiliense com a atual situação política e social em que vivemos.  Não podemos deixar que as comemorações dos 50 anos de Brasília sirvam como uma nuvem para camuflar todas as injustiças do DF.

Não podemos aceitar um governador eleito por 13 deputados – dos quais 8 estão comprovadamente ligados às denúncias de corrupção do DF. A escolha de um governador deve ser feita pelo seu povo. Exigimos a impugnação da eleição indireta de Rogério Rosso (PMDB), que esteve a serviço de Roriz e Arruda nas últimas gestões de governo e representa a continuidade dessa mesma política.

O prédio que ocupamos – superfaturado e desnecessariamente grande e luxuoso – não pode abrigar os mesmos corruptos que elegeram Rosso e tentam nos calar com panetone. Ele deve ser destinado às necessidades da população. Sua gestão deve ser feita diretamente pelos movimentos sociais. O primeiro passo para essa conquista é a realização de uma auditoria das obras do prédio, que custou três vezes o valor do orçamento inicial.

Exigimos também uma auditoria das obras da nova rodoviária. Aliás, toda a política de transportes do DF tem que ser questionada. É preciso cancelar o contrato do atual passe livre com a empresa Fácil. Lutamos por um transporte realmente livre, gratuito e de qualidade. Os usuários têm o direito de construir um transporte verdadeiramente público para o DF, participando ativamente das decisões.

Para começarmos a construir outros 50 anos, é fundamental que o atual Plano de Diretor de Ordenamento Territorial (PDOT) seja totalmente anulado. A farsa do Setor Noroeste como um bairro ecológico tem que ser desmascarada. É preciso respeitar a comunidade indígena do Santuário dos Pajés e a biodiversidade. É inadmissível construir apartamentos exclusivos para a elite local, enquanto milhões de pessoas não tem condições adequadas de moradia. A ação cautelar que impede as obras no Noroeste tem que ser cumprida.

Todas as investigações devem ser aprofundadas e os corruptos, punidos. A população deve ter acesso a todos os vídeos do inquérito da Caixa de Pandora. Só quando todos estiverem cientes do que está acontecendo nos bastidores da política, teremos força para construir o poder popular. Nenhuma ação violenta e repressora vai nos parar. Exigimos a demissão do Coronel Silva Filho, da Polícia Militar – responsável por várias agressões criminosas contra o movimento.

Participe dessa luta você também. Venha para a Câmara! Mostre que você também está indignado. Coloque faixas pretas no seu carro, na sua janela ou onde mais a criatividade deixar. Poder para o povo!

URGENTE !!! Movimento ocupa nova sede da Câmara Legislativa do DF !

abril 22, 2010
O Movimento Fora Arruda e Toda Máfia, no aniversário de Brasília, por volta das 20h de hoje, iniciou movimento de ocupação da nova sede da Câmara Legislativa do Distrito Federal.
Essa sede que abrigará os deputados/as distritais ainda não foi inaugurado e a ocupacao deste prédio vazio tem por funcão expressar indignacao diante da atual situação política do DF. A data em que ela ocorre é simbólica…e o movimento está agindo no sentido de não deixar com que as comemorações dos 50 anos de Brasília sirvam como uma nuvem pra obscurecer toda sujeira da política no DF.
Dentre as inúmeras pautas políticas levantadas pelo Movimento FORA ARRUDA cabe destacar neste momento o repúdio às eleições indiretas que ocorreram neste sábado. E, tão repugnante quanto essas eleições autoritárias são os conchavos políticos que levaram à escolha de Rogério Rosso, do PMDB, ao cargo de governador. Esse político, que já trabalhou tanto para o Governo Roriz quanto para o Governo Arruda, foi eleito em grande parte por parlamentares envolvidos nos escândalos da Caixa de Pandora.
Por fim, cabe ressaltar que a ocupação é um espaço aberto e todos as pessoas e coletivos que se solidarizarem com a pauta estão convocados a integrarem a ocupação. A nova sede da Câmara Legislativa do DF fica no Eixo Monumental, na altura da Praça do Buriti, próximo da sede do Correio Braziliense e da sede do TJDFT.

Ocupa e Resiste !

Agenda de lutas pro dia 20 de abril

abril 20, 2010
Dia 20 (terça-feira)
13:30 Julgamento pela inconstitucionalidade do PDOT no TJDFT (Praça do Buriti).
Após o adiamento pedido pelo Sindicato das Construtoras, que previa que teria um parecer favorável ao cerrado, aos povos indígenas e à população em geral (que não possui meio milhão para pagar em uma quitinete falsamente ecológica), está novamente marcado o julgamento que julga a inconstitucionalidade do PDOT, cuja votação na CLDF rendeu 420 mil reais a cada um dos deputados em dezembro de 2008. A queda do PDOT será uma grande vitória, que trará muitas outras em conseguinte referentes à questão ambiental, moradia, indígena, entre outras. A nossa presença na Praça do Buriti mostrou-se efetiva diversas vezes, portanto, devemos botar força neste ato que pode trazer vitórias enormes para toda a luta social no DF e Entorno.
  
14:00 – Denúncia dos crimes da Polícia Militar contra a população do DF na Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal. (Plenário I do Anexo 2 da Câmara Federal)
Em um cenário de agressão à população da Estrutural e Brazlândia na luta por moradia, da criminalização da pobreza, da Batalha do Buriti, as agressões covardes, as ameaças, as armas apontadas, as prisões arbitrárias, os espancamentos e a tortura na delegacia, em menos de um ano, a Polícia Militar do DF e Entorno consolidou-se como uma das mais truculentas, covardes e indignas do Brasil. Neste sentido, é dever de todos nós levarmos a denúncia aos mais diversos órgãos nacionais e internacionais para que sejam punidos TODOS os comandantes da Polícia por seus crimes contra a população. É importante lembrar que o tratamento dado aos movimentos da classe média é aumentado em sua violência muitas vezes quando a vítima é a população de baixa renda, sendo assim, é uma obrigação em nome de todos que são vítimas do abuso policial, que encaminhemos estas denúncias e busquemos punição e resultados concretos.
 
19:00Reunião do Fora Arruda e Toda a Máfia no SINDMETRO. É importantíssima a participação de tod@s.
Com a posse de um governador votado através de ELEIÇÃO INDIRETA por todos os envolvidos na Caixa de Pandora, aliado de Arruda e Filipelli, que coroa a falência das instituições e a completa ilegitimidade do Legislativo, Executivo e Judiciário no DF, é importante limparmos as feridas da agressão covarde da polícia no sábado e pensarmos como agiremos no dia do Aniversário de Brasília (50 anos de quê?). Esta, muito provavelmente, é a reunião mais importante do movimento Fora Arruda em muitos meses, e deve ser tomada como prioritária para todos os segmentos que vem construindo este movimento e todas as pessoas que apóiam e dele fazem parte.
 
Enfim, há muito o que se fazer. É importantíssimo a participação de tod@s para que possamos responder à altura a todos estes desafios.
Para finalizar, deixo uma mensagem para reflexão: Destes 50 anos de Brasília, quantos deles foram vividos fora da ditadura? Pese o fato de que ainda hoje temos eleições indiretas, temos a criminalização do protesto social, temos a tortura, temos a perseguição, a espionagem generalizada, as ameaças, a impunidade aos generais e coronéis criminosos, temos a submissão completa ao capital internacional e nacional, temos o endividamento público fantasiado de “milagre econômico e de infra-estrutura através das obras”. Temos a janela de oportunidade nestes dois dias em que o mundo estará atento ao que se passa aqui.
 
A força da transformação está na mobilização popular!
 
Um forte abraço a todos os companheiros em pé por outros 50 e pelo Poder Popular!

Ato Pacífico contra eleições indiretas sofre agressão fascista da PM-DF

abril 20, 2010