Posts Tagged ‘manifestações’

Calendário de Luta

fevereiro 6, 2010

Quarta-feira (3/2)

16:00h Denuncia coletiva na segunda Delegacia de Polícia ( no quarteirão da Câmara Distrital ) Vários integrantes do Movimento Fora Arruda e Toda Máfia estão sendo ameaçados de morte.

Quinta-Feira (dia 4/2)

Dia de oficinas do Bloco de Carnaval FORA ARRUDA E TODA MÁFIA no DCE — UnB

Sexta-feira (dia 5/2)

Dia de oficinas do Bloco de Carnaval FORA ARRUDA E TODA MÁFIA no DCE — UnB

Sábado (dia 6/2)

9h – Panfletagem nas feiras

14h – Reunião Geral do Movimento Fora Arruda e Toda Máfia (concentração na Praça Zumbi dos Palmares – Em frente ao Conic)

17h – Ensaio do Pacotão na 303/304 norte

20hs – festa Fora Arruda e Toda Máfia

Local: 712 norte, Bloco B Loja 36

(levar bebida ou 1 kg de carne)

Domingo (dia 7/2)

9hPré-lançamento do Bloco de Carnaval Fora Arruda e Toda Máfia. Leve sua alegria e vá fantasiad@! (concentração no Eixão Sul, na altura da 102 sul)

14h – Concentração na Praça Zumbi dos Palmares para visitação aos deputados corruptos!

Divulgue! Venha pra luta!

O tenente-coronel e a universitária

janeiro 25, 2010
por RUTH DE AQUINO

Quando o PM do Distrito Federal jogou ao chão a universitária Ingrid Cartaxo, como se fosse uma boneca de pano, e fechou a grade gritando “O que que é? O que que é?”, pensei: “Esta é a imagem de um governo desmoralizado, truculento e autoritário”. Desmoralizado pela corrupção e por manobras para garantir a impunidade. Truculento pela covardia contra jovens. Autoritário por não suportar contestação.

Identificado como tenente-coronel Cláudio Armond, comandante do 3o Batalhão, o policial militar perdeu o controle e empurrou fortemente a estudante de ciências sociais da Universidade de Brasília, que registrou queixa na Comissão de Direitos Humanos da Câmara contra a agressão. Havia suspeita de fratura no braço de Ingrid.

O mais preocupante é que essa cena começa a fazer parte da paisagem de Brasília.

A agressão ocorreu na quinta-feira. Estudantes depositaram 30 sacos de esterco na frente da Câmara Legislativa, em protesto contra as manobras para acabar com a CPI da corrupção. A inabilidade da PM – um eufemismo – vem se repetindo desde o início de dezembro, com contornos mais e menos violentos. E ninguém faz nada. Porque encara tudo como normal.

É inacreditável e vergonhoso que um país democrático não saiba lidar com manifestações políticas. Especialmente um país que enfrentou uma ditadura militar. Qualquer cidadão brasileiro que conheça Paris sabe que as manifs (apelido carinhoso de manifestations) bloqueiam avenidas da capital francesa quase todo fim de semana e são protegidas, não atacadas, pelas forças da ordem. O trânsito é desviado pela polícia. E o direito de expressão é garantido. A passeata transcorre sem problemas.

Dá arrepio pensar quantos jovens seriam feridos ou morreriam nas mãos da PM de Arruda se promovessem quebra-quebras como os protagonizados por universitários em Paris nos últimos anos. A PM armada precisa aprender a agir com serenidade e só usar a força quando não há outra alternativa. Senão, é abuso de poder.

A agressão do PM de Brasília a uma estudante revela um
governo desmoralizado, truculento e autoritário

No dia 9 de dezembro de 2009, em Brasília, cavalos, gás lacrimogêneo, balas de borracha e cassetetes foram arremessados contra estudantes. A tropa de choque convocada pelo governador José Roberto Arruda para reprimir o protesto contra o mensalão do DEM agiu com brutalidade extrema. Um coronel chegou ao corpo a corpo com um manifestante.

Qual é a opinião do coronel Alberto, chefe de Comunicações da PM de Arruda? “Os manifestantes perturbaram terceiros, afrontaram a população de Brasília, porque não atenderam a nossos apelos para desbloquear a via e dar fluidez ao trânsito.” Sobre o confronto pessoal, Alberto disse em linguagem de código: “O coronel acabou entrando em vias de fato devido às circunstâncias”. Afirmou que “a PM de Brasília treina exaustivamente para evitar conflito” e que “vem demonstrando capacidade muito grande de negociação”.

Essa declaração soa como achincalhe. Quase como as risadas do “governador panetone” no fim do ano. Quem afronta a população não são os universitários, coronel. O que afronta são as propinas distribuídas em cuecas, meias, barrigas, bolsos e malas. O que perturba é a dissolução da CPI depois de a Justiça destituir da comissão os aliados corruptos de Arruda. O que ofende são as tentativas acrobáticas de sobrevida do governador do DF e dos deputados aliados.

Não há aqui nenhum desejo de incitar à desordem pública. Mas a desordem é inevitável e perigosa quando não se respeita o direito legítimo à manifestação. Esses 30 estudantes (só me assombra o número não ser maior) faziam um protesto pacífico, acompanhados de um advogado. Diogo Ramalho, universitário, disse: “Este é um protesto simbólico. O esterco simboliza a sujeira aí na Câmara”.

Virou pancadaria. A PM disse que tinha informações de que os estudantes “iriam jogar estrume nos deputados”. Os jovens tentaram entrar na Câmara. E a PM os atacou, sem se sensibilizar com as palavras de ordem dos estudantes: “Policial, pai de família, não defenda essa quadrilha”.

Alguém pode culpar jovens por depositar esterco ali em ato de ironia e deboche?

Protesto Hoje Contra Ditadura da PM do Arruda

janeiro 22, 2010

Ontem quinta-feira fizemos um protesto pacífico, como são todos os nossos protestos, na Câmara Distrital, Legislativo mais corrupto do país, e no entanto a polícia militar do Arruda nos recebeu com muita truculência e violência.

O Coronel Claúdio Armond que comandava a operação agrediu a estudante Ingrid dando um empurrão com a força de um murro que fraturou seu braço. Ontem Ingrid foi ao Hospital, fez o corpo delito, registrou a ocorrência na delegacia da mulher e hoje vamos todos à Corregedoria da Polícia Militar protestar e registrar a denúncia contra o Coronel que ha agrediu de maneira covarde.

Ajudem a divulgar e venham protestar contra a truculência da Polícia Militar à manifestações pacíficas que pedem por justiça, o fim da impunidade para os poderosos.

A Corregedoria da Polícia Militar fica no SIA TRECHO 3 Lote 2050 / 2060 ( ir até o final ) Horário: 15:00h 

Vídeo da agressão.

Lembrando que o espancamento sofrido por estudantes e trabalhadores no dia 09 de dezembro em frente ao Palácio Buriti, quando a Polícia Militar pisoteou com a cavalaria os cidadãos que protestavam pacificamente, foi arquivado.

3 dias depois da Batalha do Buriti Arruda publicou no Diário Oficial Gratificação à Polícia Militar, e segundo a própria PM-DF, eles têm gratidão ao Governador…. Vivemos a Ditadura em Brasília.

E ontem, a CPI que nem começou, foi anulada pelos deputados e deputadas Corruptas do Arruda e Paulo Otávio.

Ambientalistas protestam contra empreendimento imobiliário no Setor Noroeste-Faroeste

janeiro 19, 2010

Artigo por André Louvem Shalders para o Sindicato dos Bancários do DF.

Um grupo formado por estudantes, ambientalistas e militantes de movimentos sociais realizou na segunda (18) um protesto contra a construção do novo bairro de alto luxo de Brasília, o Setor Noroeste [Faroeste]. A concentração dos manifestantes começou às 11h em frente à central de vendas do Setor Noroeste, na 208 norte. Por volta de meio dia havia cerca de 50 pessoas na manifestação. Um grupo de ativistas trouxe algumas sacolas de refugo de uma feira próxima. Às 12h 30 os vegetais podres e os ovos começaram a voar contra as paredes do luxuoso stand de vendas. Faixas que anunciavam apartamentos no novo bairro foram recolhidas pela cidade e queimadas em frente ao stand.

Um pouco antes das 13h, o grupo se dirigiu em carreata ao canteiro de obras do Setor Noroeste. Lá, os manifestantes se dividiram em grupos e pararam várias das máquinas que faziam o trabalho de devastar a área de cerrado virgem da Reserva do Bananal. Dentro da área da reserva, existem 58 hectares que são considerados legalmente como zonas intangíveis, ou seja, que não poderiam sofrer qualquer tipo de alteração. Quatro desses 58 hectares já foram devastados, apesar da decisão da Justiça Federal, no dia 24/11 de 2009 de que todas as intervenções da Terracap na área da Reserva fossem suspensas. A empresa Basevi, que executou a destruição, foi multada em apenas 250 mil reais.

“A destruição do cerrado na área do Setor Noroeste trará graves problemas para o abastecimento de água em Brasília. A impermeabilização do solo, por conta das construções, prejudicará a função da área de recarga de um aqüífero que existe ali sob o solo. Além disso, o bairro acabará por sobrecarregar as estações de tratamento de esgoto, (ETE’s) que atualmente desembocam no Lago Paranoá”, sustenta a bióloga e ambientalista Denise Paiva, presente no protesto. Ambientalistas apontam ainda que a remoção da cobertura vegetal contribuirá para o aumento do processo de assoreamento da Bacia Hidrográfica do rio Paranoá.

Além dos impactos ambientais e urbanísticos (como a piora do trânsito em toda a Asa Norte), a construção do Noroeste pressiona as etnias indígenas que ali vivem em torno no Santuário dos Pajés, local considerado sagrado por eles. O cacique Korubo, considerado uma liderança espiritual do Santuário, passou nove meses desaparecido, fugindo das ameaças de morte feitas por pistoleiros, que segundo ele, eram contratados pela Terracap. Korubo voltou ao santuário apenas no dia 4 de janeiro de 2010. A casa do índio Towê, próxima ao Santuário, foi alvo de um incêndio (apontado por laudo da PF como criminoso) no dia 30 de março de 2009.

Convocação imediata ao Ato na Câmara Distrital

janeiro 11, 2010

Antecipando o sugerido durante os últimos dias, devem-se dirigir o quanto antes à Câmara Distrital todas as pessoas que se indignam com esta situação em que cada dia de trabalho do GDF a mais representa mais dinheiro sendo desviado; cada obra terminada representa uma empresa enriquecida ilicitamente e uma propina regiamente paga.

Os “manifestantes” declaradamente contratados ou pressionados pelo governador Arruda-Paulo Octávio entre os trabalhadores comissionados e suas famílias começaram a chegar em grande número logo às 6:30 da mahã, atacando o acampamento da manifestação. Destruíram o caixão e o boneco do Arruda. É um teatro farsesco, mas Freud explica.

Mas não adianta: o enterro político do governador, do vice, dos corruptos deputados, secretários, desembargadores, procuradores e empresários será feito pela população em luta crescente nas ruas. Isso está longe de ser um mero caso de corrupção. É uma luta popular contra o crime organizado.

Fica cada vez mais manchado o governo Arruda-P.O. que se mantém no poder sem qualquer legitimidade. Eles mesmos tratam de se desmascarar, ostentando a sua incapacidade de se manter no poder até o fim do mandato senão por meio da força. Não sendo suficiente a violência policial, seguem investindo em para-manifestantes com trejeitos paramilitares (e o Ministério Público, por que ainda não fez nada contra o uso da máquina pública?). Não cansaremos, não nos moveremos senão em direção a outras lutas e ainda maiores!

Arruda, Paulo Octávio e a Máfia Candanga não sairão do governo. Sairão com seu capo Roriz da vida política e econômica do DF!

TOD@S HOJE NA CÂMARA DISTRITAL!!!

Ps: A Câmara Distrital, velho conhecido balcão de negócios da cidade que permitiu o acúmulo dos primeiros bilhões tanto do Paulo Octávio quanto do Gim Argelo e a consolidação da Máfia Candanga através principalmente de sucessivas mudanças de destinação de terrenos no DF, se localiza por enquanto no fim da Asa Norte, próximo ao Hipermercado Extra e atrás do recentemente construído Wal-Mart. Ali onde originalmente haveria Hospitais e um Terminal Rodoviário de ônibus, mas os deputados distritais de agora e de antes não os acharam tão importantes assim.

Agenda de fim de ano

dezembro 18, 2009

Sexta-feira 18/12/09

18h – Rodoviária do Plano Piloto – Show Fora Arruda e toda máfia, todos contra a corrupção com Leo Maia (herdeiro musical de Tim Maia)

Sábado 19/12

14h30min – Carnaval na estrutural

15h – Ato cultural no Setor Bancário Sul- Panfleto clique aqui

21h Carnaval no clube da imprensa.  Entrada: 1 panetone

Domingo 20/12

14h30minReunião Mutirô em Taguatinga Sul ( próximo ao sandu ) – Todos convidados.

Terça-feira 22/12

17hAto em Ceilândia, início na feira permanente.

Quarta-feira 23/12

19h – Reunião de mobilização e avaliação do movimento ( Toda quarta ). Aberta para todas as pessoas. Local: AUTRANC, SCLRN 709, Bloco D, Entrada 37, Sala 101

FlashMob:

Sempre tem um novo. Para saber qual é o do dia, clique aqui.

———————————————————————————————————————

Preparem-se, dia 11 de janeiro os carinhas voltam do recesso!!