Posts Tagged ‘Paulo Octávio’

Ya Cayó!Ya Cayó! El P.O. Ya Cayó!

fevereiro 23, 2010

Paulo Octávio não resistiu nem numa banda nem na outra. Às 15h enviou carta de desfiliação ao DEM (que fica com mais essa vergonha de não ter expulsado NINGUÉM envolvido no escândalo mais escancarado da História do país) e pouco mais de uma hora depois sua carta de renúncia seguia para ser lida no Plenário da Casa dos Horrores Câmara Legislativa do Distrito Federal.

Foto: Janine Moraes/Esp. CB/D.A. Press

Agora, esse gente boa aí da foto não é bobo. Nem nós! A sua saída do governo e mesmo o seu aparente abandono das eleições de 2010 não pode deixá-lo impune quanto aos seus crimes, que são muitos e documentados e, principalmente, não pode permitir que continue agindo mafiosamente nos subterrâneos, nas cidades, nos parques, nas matas, na História e nos horizontes do Distrito Federal e do Brasil.

Vaza PO. De Brasília.

E devolve tudo o que é nosso.

Ps: Wilson Lima, Nem Pense!

Anúncios

Nota do movimento Fora Arruda e Toda Máfia sobre a ocupação do STF

fevereiro 12, 2010

Na quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010, ocorreu um fato marcante: pela primeira vez na historia do Distrito Federal um governador foi preso.

O governador Jose Roberto Arruda, comandante de um enorme escancarado sistema de corrupção e de distribuição de propina, finalmente foi preso preventivamente após uma decisão do Superior Tribunal de Justiça.

Esta decisão ocorreu após a movimentação de Arruda e de seus aliados para tentar emperrar as investigações, chegando ao ponto de tentar subornar uma das testemunhas para que contasse uma versão favorável ao governador durante seu depoimento à Policia Federal. Para infelicidade do governador essa sua movimentação foi acompanhada de perto pela PF, que inclusive filmou a tentativa de suborno.

Foi necessário um longo período de mobilização popular contra essa máfia desde o estouro do escândalo, que ocorreu no final de novembro de 2009. Após muitas manifestações, mobilização popular e pressão social, finalmente a justiça começa a ser feita.

Após esta noticia tão aguardada pelo povo do Brasil e do Distrito Federal, foi convocada uma manifestação na frente do Supremo Tribunal Federal, onde Arruda tenta conseguir um habeas corpus para sair da prisão.

Durante a tarde e a noite de quinta-feira a manifestação seguiu e segue pressionando para que o habeas corpus seja negado. No final da noite recebemos a noticia de que o ministro Marco Aurélio de Melo somente tomará a decisão na sexta-feira.

Acreditando que em um momento como esse precisamos estar atentos e atuantes para que o STF ouça a voz das ruas e tome a decisão correta, decidimos realizar uma vigília acampando na marquise do STF, na entrada do prédio.

Nesta mesma quinta-feira o Procurador-Geral da Republica Roberto Gurgel pediu ao STF uma intervenção federal no Distrito Federal, para que o Governo Federal indique um governo provisório, tendo em vista a extensão do esquema de corrupção instalado no DF e que toda a linha sucessória esta contaminada por este esquema, alem do governador, o vice Paulo Octávio, o presidente da Câmara Legislativa e ate mesmo o Tribunal de Justiça e o Ministério Público do DF estão sob suspeição.

Convocamos toda a população para que compareça ao Supremo Tribunal Federal na manhã de sexta, pressionando o STF para que negue o pedido de habeas corpus de Jose Roberto Arruda, garantindo assim que ele não continue livre interferindo nas investigações usando o poder econômico do diário oficial e dinheiro de corrupção.

Não podemos nos deixar levar pela idéia de que apenas as grandes instituições são capazes de realizar as mudanças necessárias no atual cenário político brasileiro. Somente a força popular canalizada para a resolução dos desafios apresentados à população brasileira, poderá mudar a realidade habitual da impunidade. Mais importante e mais efetivo do que uma intervenção federal é uma intervenção popular.

Apenas a pressão popular pode garantir que neste ano, em que Brasília completa 50 anos, tomemos o nosso destino em nossas mãos para construir uma nova cidade, sem corrupção, efetivamente democrática e com cada vez mais participação popular.

Brasilia outros 50!

Fora Arruda, Paulo Otávio, Deputados, Roriz e Noroeste – PDOT.

Calendário de Luta

fevereiro 6, 2010

Quarta-feira (3/2)

16:00h Denuncia coletiva na segunda Delegacia de Polícia ( no quarteirão da Câmara Distrital ) Vários integrantes do Movimento Fora Arruda e Toda Máfia estão sendo ameaçados de morte.

Quinta-Feira (dia 4/2)

Dia de oficinas do Bloco de Carnaval FORA ARRUDA E TODA MÁFIA no DCE — UnB

Sexta-feira (dia 5/2)

Dia de oficinas do Bloco de Carnaval FORA ARRUDA E TODA MÁFIA no DCE — UnB

Sábado (dia 6/2)

9h – Panfletagem nas feiras

14h – Reunião Geral do Movimento Fora Arruda e Toda Máfia (concentração na Praça Zumbi dos Palmares – Em frente ao Conic)

17h – Ensaio do Pacotão na 303/304 norte

20hs – festa Fora Arruda e Toda Máfia

Local: 712 norte, Bloco B Loja 36

(levar bebida ou 1 kg de carne)

Domingo (dia 7/2)

9hPré-lançamento do Bloco de Carnaval Fora Arruda e Toda Máfia. Leve sua alegria e vá fantasiad@! (concentração no Eixão Sul, na altura da 102 sul)

14h – Concentração na Praça Zumbi dos Palmares para visitação aos deputados corruptos!

Divulgue! Venha pra luta!

Ambientalistas protestam contra empreendimento imobiliário no Setor Noroeste-Faroeste

janeiro 19, 2010

Artigo por André Louvem Shalders para o Sindicato dos Bancários do DF.

Um grupo formado por estudantes, ambientalistas e militantes de movimentos sociais realizou na segunda (18) um protesto contra a construção do novo bairro de alto luxo de Brasília, o Setor Noroeste [Faroeste]. A concentração dos manifestantes começou às 11h em frente à central de vendas do Setor Noroeste, na 208 norte. Por volta de meio dia havia cerca de 50 pessoas na manifestação. Um grupo de ativistas trouxe algumas sacolas de refugo de uma feira próxima. Às 12h 30 os vegetais podres e os ovos começaram a voar contra as paredes do luxuoso stand de vendas. Faixas que anunciavam apartamentos no novo bairro foram recolhidas pela cidade e queimadas em frente ao stand.

Um pouco antes das 13h, o grupo se dirigiu em carreata ao canteiro de obras do Setor Noroeste. Lá, os manifestantes se dividiram em grupos e pararam várias das máquinas que faziam o trabalho de devastar a área de cerrado virgem da Reserva do Bananal. Dentro da área da reserva, existem 58 hectares que são considerados legalmente como zonas intangíveis, ou seja, que não poderiam sofrer qualquer tipo de alteração. Quatro desses 58 hectares já foram devastados, apesar da decisão da Justiça Federal, no dia 24/11 de 2009 de que todas as intervenções da Terracap na área da Reserva fossem suspensas. A empresa Basevi, que executou a destruição, foi multada em apenas 250 mil reais.

“A destruição do cerrado na área do Setor Noroeste trará graves problemas para o abastecimento de água em Brasília. A impermeabilização do solo, por conta das construções, prejudicará a função da área de recarga de um aqüífero que existe ali sob o solo. Além disso, o bairro acabará por sobrecarregar as estações de tratamento de esgoto, (ETE’s) que atualmente desembocam no Lago Paranoá”, sustenta a bióloga e ambientalista Denise Paiva, presente no protesto. Ambientalistas apontam ainda que a remoção da cobertura vegetal contribuirá para o aumento do processo de assoreamento da Bacia Hidrográfica do rio Paranoá.

Além dos impactos ambientais e urbanísticos (como a piora do trânsito em toda a Asa Norte), a construção do Noroeste pressiona as etnias indígenas que ali vivem em torno no Santuário dos Pajés, local considerado sagrado por eles. O cacique Korubo, considerado uma liderança espiritual do Santuário, passou nove meses desaparecido, fugindo das ameaças de morte feitas por pistoleiros, que segundo ele, eram contratados pela Terracap. Korubo voltou ao santuário apenas no dia 4 de janeiro de 2010. A casa do índio Towê, próxima ao Santuário, foi alvo de um incêndio (apontado por laudo da PF como criminoso) no dia 30 de março de 2009.